• Clara Mayrink

Solidão e afeto em “Intimidade entre estranhos”, de José Alvarenga Jr.


Estreia nesta quinta-feira (13) “Intimidade entre estranhos”, mais novo filme do diretor José Alvarenga Jr, que esse ano já lançou “10 segundos para vencer”. Este novo longa é estrelado por Rafaela Mandelli, como Maria, o experiente Milhem Cortaz, como Pedro, e o estreante Gabriel Contente, como Horário.

Neste longa, Maria e Pedro se mudam para um prédio no Rio de Janeiro e logo já começam a ter problemas com o síndico, Horácio, um jovem isolado, que perde a família e se torna um garoto amargurado e solitário.

Maria e Pedro vivem uma relação complicada e, em mais um dos momentos conturbados, Maria acaba se aproximando de Horácio, primeiro como amiga, até que a relação se aprofunda. É neste vínculo que se baseia “Intimidade entre estranhos”, que trata exaustivamente um relacionamento entre duas pessoas com suas questões pessoais bem profundas e mal-resolvidas. Um vê no outro uma espécie de terapia em que os sentimentos se confundem. A depressão e ansiedade de ambos os personagens são trabalhadas no longa, com cenas de crises e flashbacks.

Além de Maria, Horácio e Pedro, a piscina onde Maria se banha pode ser considerada mais uma personagem deste filme, dando-nos belas imagens de fotografia. Além disso, a fotografia das cenas à meia luz, no terraço, também são lindas e dão ainda mais a dimensão da solidão destes personagens.

“Intimidade entre estranhos” tem um grave problema. Alerta spoiler: Maria perdoa recorrentemente os erros graves de Pedro, como se precisasse dele para manter sua sanidade e sua paz interior. Nesse sentido, ela acaba passando pano para coisas gravíssimas e se diminuindo, para não ficar longe deste homem que a trata mal. Isso me incomodou profundamente. Por outro lado, as nuances da personalidade de Pedro também são colocadas de forma brilhante por Milhem, o que diminui sua carga de puramente vilão e podemos enxergar um homem frágil e inseguro.

Apesar de tratar de um tema profundo e complicado como a depressão e ansiedade, o longa consegue ter em alguns momentos uma aura mais leve e divertida. Maria é uma mulher espirituosa, com tiradas engraçadas, que dão um ar leve e cômico ao filme. Há ainda uma ligação engraçada feita com novelas religiosas, que têm uma produção bizarra e me fizeram cair na gargalhada. Com bastante intervenção musical, as canções escritas pelo personagem de Horácio são de Leoni e Frejat, bem do jeito que costumam ser suas letras e melodia. Os três atores principais, Gabriel, Rafaella e Milhem se saem excelentes e conduzem muito bem o longa. “Intimidade entre estranhos” tem classificação etária de 14 anos (por conta de cenas de sexo) e estreia nesta quinta-feira (13).

#Filmeseséries

16 visualizações
Foto Sandro_2_edited.jpg

Manu Mayrink é fanática por livros, filmes, séries, música e lugares novos.  A internet é seu maior vício (ao lado de banana e chocolate, claro) e o "Alguém Viu Meus Óculos?" é seu xodó. Ela ama falar (muito) e contar pra todo mundo o que anda fazendo (taurina com ascendente em gêmeos, imagine a confusão!). Já morou em cidade pequena e em cidade grande, já conheceu gente muito famosa e outras não tanto assim (mas sempre com boas histórias). Já passou por alguns lugares incríveis, mas quando o dinheiro aperta ela viaja mesmo é na própria cabeça. Às vezes mais do que deveria, aliás.

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram