I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

“As Golpistas”, com Jennifer Lopez e Cardi B: uma história real

1 Dec 2019

Baseado em uma história real de amizade e interesses e em um artigo escrito pela jornalista Jessica Pressler (no longa chamada de Elizabeth e representada por Julia Stiles), que entrevistou alguns dos atores desta história, “As Golpistas” começa em 2007.

 

Jennifer Lopez é Ramona, a maior dançarina de uma famosa boate de Nova York, e fica amiga de Dorothy (que também usa o nome de Destiny), protagonista representada por Constance Wu, se tornando praticamente sua mentora neste mundo. Ramona ensina a  Destiny todos os truques das danças e tudo sobre os caras de Wall Street, que separa por estilos e fortuna. São dançarinas e strippers, mas não prostitutas, porque não fazem sexo.

 

A crise financeira de 2008 quebrou a boate também, já que viviam lotadas de trabalhadores do mercado financeiro de Wall Street, que agora estavam falidos ou presos, e a partir daí, as coisas começam a dar cada vez mais errado para as dançarinas. Tudo isso acontece ao mesmo tempo em que Destiny engravida e por isso, teve que parar de trabalhar e depender do namorado, que, logo em seguida, se mostra abusivo e abandona a família.

 

Dorothy e Ramona também se afastam e, com a crise financeira, saem da boate e tentam voltar ao mercado formal, mas os empregadores não deram chances para moças sozinhas e sem experiência, além da falta de compreensão a respeito dos problemas com suas filhas. 

 

Esse é um dos pontos cruciais de “As Golpistas”, que mostra que, em geral, os homens, mais uma vez, são o grande algoz destas mulheres, que apenas lutavam por uma melhora de vida. Estas escolheram por um caminho cheio de percalços e delitos, mas, quando se observa por um panorama maior, consegue-se compreender os motivos. É mais um filme para mulheres que, homens sensíveis podem conseguir compreender estas nuances, mas os que não estiverem atentos, não terão a mesma experiência que as mulheres conseguem ter.

 

 

Após a crise de 2008 e as falhas tentativas de voltar ao mercado formal, Destiny e Ramona começam a “caçar” os homens na rua, uma vez que eles pararam de frequentar a boate. Essa ideia se transformou em um nebuloso negócio, em que a intenção era lucrar ao máximo com cada cliente, mesmo que isso significasse drogá-lo.

 

Por mais que fossem crimes de verdade, algumas justificativas de Ramona quase nos convencem, quando ela fala sobre como foram estes mesmos homens que, com tantas falcatruas, quebraram todo o país. Isso tudo o fez pensar como eles. “Toda a cidade, todo esse país, é uma boate de strip. Há quem dance e há quem jogue dinheiro.” E tá errada?

 

Elas fazem uma comparação com Kobe e Shaq, grandes estrelas do basquete, e não podia ser mais real, já que esta dupla também teve grandes desentendimentos. Elas formavam, junto com outras amigas, uma família, mas o negócio era sempre cheio de altos e baixos e isso afetou muito a relação entre as amigas.

 

Além de Jennifer Lopez, que está absolutamente divina neste papel que a valoriza como um todo, o longa conta ainda com as participações de Cardi B, Lizzo e Usher. Usa-se também as músicas daqueles anos, como Sean Kingston, Britney Spears e das próprias JLo e Cardi B, que me marcaram muito e eu cantei muito junto. “As Golpistas” é muito interessante, divertido e reflexivo ao mesmo tempo. A direção e roteiro é de Lorene Scafaria e sua estreia no Brasil acontece oficialmente no próximo dia 05 de dezembro.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Foto Sandro_2_edited.jpg

Manu Mayrink é fanática por livros, filmes, séries, música e lugares novos.  A internet é seu maior vício (ao lado de banana e chocolate, claro) e o "Alguém Viu Meus Óculos?" é seu xodó. Ela ama falar (muito) e contar pra todo mundo o que anda fazendo (taurina com ascendente em gêmeos, imagine a confusão!). Já morou em cidade pequena e em cidade grande, já conheceu gente muito famosa e outras não tanto assim (mas sempre com boas histórias). Já passou por alguns lugares incríveis, mas quando o dinheiro aperta ela viaja mesmo é na própria cabeça. Às vezes mais do que deveria, aliás.

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram